16/08/2018 às 00h07min - Atualizada em 16/08/2018 às 00h07min

Facebook elimina rede de ‘participação falsa’ no Brasil

A mesma rede foi detectada durante uma pesquisa sobre a falsa propagação das páginas políticas na recente eleição mexicana.

Por Redação
Divulgação

O Facebook eliminou uma rede de páginas, grupos e contas no Brasil que fomentava a obtenção artificial de seguidores e curtidas em troca de benefícios financeiros, também detectada durante a recente campanha eleitoral no México, informou nesta quarta-feira (15) a empresa americana.

“Removemos hoje uma rede de 72 grupos, 50 contas e cinco páginas do Facebook no Brasil, que violavam nossas políticas de autenticidade e de spam, por fomentar e permitir a obtenção de seguidores e curtidas, e até o intercâmbio de páginas, com o objetivo de ampliar falsamente a participação buscando benefícios financeiros”, indicou a rede social em um comunicado.

A mesma rede foi detectada durante uma pesquisa sobre a falsa propagação das páginas políticas na recente eleição mexicana.

O alerta veio do Digital Forensic Research Lab, uma unidade de pesquisa do Atlantic Council. A ONG transmite ao Facebook informações sobre “ameaças de abuso e campanhas de desinformação”.

Em um relatório prévio, esta unidade de pesquisa aponta que no México a rede atuou promovendo conteúdo político, especialmente contra o então candidato Andrés Manuel López Obrador, agora eleito presidente.

“Com o primeiro turno das eleições brasileiras marcado para 7 de outubro, essa rede tinha o potencial de reproduzir em casa as operações mexicanas”, adverte o documento divulgado pelo Digital Forensic Research Lab nesta quarta.

O comunicado do Facebook explica que a pesquisa “descobriu que uma entidade identificada como PCSD, baseada no Brasil, usou uma rede de grupos, contas e páginas onde as pessoas podiam comprar e vender reações, seguidores e páginas”. 

Há um mês, a rede social tirou do ar 196 páginas e 87 perfis no Brasil que violavam as suas políticas de autenticidade. O Facebook não revelou a quem pertenciam as mesmas, embora o Movimento Brasil Livre (MBL) tenha denunciado que muitas de suas contas haviam sido “arbitrariamente” removidas da plataforma.

O Facebook indicou que as ações anunciadas “fazem parte do nosso esforço permanente para identificar e atuar contra pessoas mal-intencionadas que violam nossos padrões de comunidade” e advertiu que eliminará “qualquer conteúdo adicional que seja identificado por vulnerabilizar as regras”.

As eleições presidenciais brasileiras ocorrerão em outubro e, embora no país a televisão continue sendo fundamental para a difusão de propaganda política, a campanha eleitoral já começou nas redes sociais.

Com seus 207,7 milhões de habitantes, o Brasil tem uma forte presença nas redes sociais, sendo 120 milhões usuários do WhatsApp, mais de 100 milhões do Facebook e 50 milhões do Instagram.

Entre janeiro e março de 2018, o Facebook removeu 837 milhões de conteúdos de spam e eliminou 583 milhões de contas falsas em todo mundo, segundo o comunicado.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp