01/10/2019 às 21h31min - Atualizada em 01/10/2019 às 21h31min

Euclério pede prisão de presidente da Renova durante reunião da CPI das Licenças

Executivo é acusado de mentir em depoimentos anteriores. Deputado Euclério Sampaio apresentou pedido de prisão que será apreciado na próxima quinta (3)

Por Redação
Divulgação/Bruno Fritz

Durante sessão extraordinária da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Sonegação da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, o deputado estadual Euclério Sampaio apresentou pedido de prisão do diretor-presidente da Fundação Renova, Roberto Silva Waak. O parlamentar acusou o diretor de ter faltado com a verdade em depoimentos anteriores e por interferir em investigações da Comissão.

 

"As empresas que coordenam a Fundação Renova são as mesmas responsáveis pelo maior desastre ambiental já ocorrido no mundo, que poluiu o rio Doce e causou graves prejuízos ao meio ambiente e milhares de vítimas tanto em Minas Gerais e no Espírito Santo. E, considerando que o prazo para a Fundação Renova tinha para buscar e indenizar os danos venceu no mês de março de 2017, demonstra descumprimento das cláusulas do TTAC (Termo de Transação e Ajustamento de Conduta firmado entre as mineradoras Samarco, Vale e BHP Billiton com Ministério Público e Poder Judiciário)", iniciou o deputado.

 

Além disso, Euclério ainda relatou denúncia que chegou ao Colegiado alegando que a Fundação direciona contratos superfaturados para empresas de funcionários ou ex-colaboradores das mineradoras, "demonstrando má gestão dos recursos que deveriam estar reparando impactos ambientais e indenizando vítimas."

 

Acusando Roberto Silva Waak  de faltar com a verdade, Euclério lembrou que "o presidente da Fundação veio (prestar depoimentos à CPI) sob juramento cometeu crime ao mentir dizendo que não não era réu em ação sobre a exploração ilegal de madeira assim como informou, de forma mentirosa, que o produto TANFLOC deixou de ser utilizado no tratamento de água destinado a população a mais de dois anos, o que foi comprovado ser mentira e, em ofício encaminhado desta Casa de Leis, também se negou a prestar informações sobre valores e o contrato de seus fornecedores, violando a Cláusula 7, inciso ‘P’ do TTAC".

 

Análise

Surpreendidos por um habeas corpus concedido momentos antes do início da sessão, vedando o cerceamento de liberdade do diretor da Renova, os membros da CPI suspenderam a sessão até a próxima quinta-feira (3), às 11 horas, quando serão retomados os trabalhos para analisar o pedido feito pelo deputado Euclério Sampaio.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp